quinta-feira, 5 de março de 2009

Viradas da vida 2

2. Em muitos túneis, a luz não é vizível

-O que foi Victor? Que cara de quem comeu e não gostou é essa?- Carlos perguntou quando o terceiro companheiro de quarto chegou.
-Cara de quem escovou os dentes e não gostou, você quis dizer! Minha escova estava com gosto de esgoto!
-Ah!- compreendeu o rapaz- eu já sabia que você era louco mesmo!- completou irônicamente, uma sombra de sorriso surgindo nos seus lábios.
Luís estava deitado na cama, se controlando para não partir pra cima do traidor, enrolado, imaginando correntes em lugar das cobertas, desejando que caso se descontrolasse, elas o segurassem ali, forçando-o a continuar impassivo.
-Okay, o meu lençol também está fedendo, então... talvez como um bom amigo, você possa me emprestar o seu Luis, por favor tá?- Victor reclamou, já arrancando as cobertas de cima do outro.
-Não, eu não posso!- revidou por entre os dentes, puxando de volta pano.
-O que há com você irmão?- Victor disse se rendendo, ele ainda achava que o seu “amigo” continuava sem saber das suas atitudes.
-Como assim?
-Você tem estado tão estranho! Parece até que levou corno! Hahaha!
-Ah, parece é?- E já ia perdendo a cabeça, quando Carlos reparou no seu punho fechado, segurou com firmeza no seu braço e sussurrou: “não! Não vai adiantar nada quebrar a cara dele aqui, agora!”
-O pior é que parece mesmo!- Victor riu, mas após, um silêncio tomou conta do quarto. Nele, apenas Luís demorou de dormir, amanha eles voltariam pra casa, mas como se já não bastasse essas férias, ele teria que aturar tudo ainda durante as aulas.

Os dias se passaram e as coisas só iam piorando. Até Carlos entrara na “panelinha dos populares”, por mais que continuasse fiel. Fora os amigos que possuía na escola e Carlos, todos estavam contra Luís. Ele ia ao shopping, se encontrava com Júlia e ela depois dizia que ele não parava de olhar para a mesma e comentar com quem que estivesse. As coisas nunca foram tão difíceis.
-Vou conversar com ele amanhã Carlos, sei que ficarei nervoso, mas é melhor! Eu preciso ou vir a versão dele! Sei que o Víctor já disse que conversaria comigo, mas ele não tomou iniciativa! E fique tranqüilo, ele não vai saber NUNCA que você me contou aquelas coisas!
-Tudo bem Luís! Você deve fazer o que achar que é certo! E vê se esquece a Júlia está bem? Ela não serve para você!
-É difícil meu amigo! Isso é o que eu mais quero fazer, você sabe.
-É! Agora já vou! Boa sorte amanhã!
-Eu vou precisar. Tchau!
O garoto voltou para a sua casa, mas naquela noite, ele quase não conseguiu pregar o olho, só pensando em como faria para falar com o traidor e se
o conseguisse, O QUE faria.

1 comentários:

Cherry Chérie disse...

Tô adorando a história! Curiosa pela continuação. rsrs.

Que bom que você tá gostando do meu blog. Vou add seu link em parceiros tb. ^^

Beijinhos

Postar um comentário